310502695472961
top of page
Image by Henrik Dønnestad

Osteopatia Craniossacral

TERAPIA CRANIOSSACRAL ou OSTEOPATIA CRANIOSSACRAL

Tratamento manipulativo para disfunções do sistema craniossacral: crânio, encéfalo, meninges, circulação cerebral, coluna vertebral e sistema respiratório.

Veja INDICAÇÕES no decorrer do texto.

Osteopatia craniossacral - Dr. Stelle
Osteopatia craniossacral - Dr. Stelle

1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

O movimento crânio-sacro (crânio-sacral) foi descrito em 1939 pelo osteopata W. G. Sutherland. Este mecanismo involuntário e fisiológico responde em um ritmo de flexão–extensão dos ossos do crânio e do osso sacro.

Numerosas provas científicas demonstram que esse micromovimento depende principalmente do movimento respiratório costodiafragmático de inspiração e expiração*, que através das tensões dos tecidos conjuntivos ou fáscias movem este sistema. (As fáscias deste sistema são foice do cérebro, tenda do cerebelo, dura-máter, fáscia profunda cérvico-tóraco-lombo-pélvica).

(*O sistema respiratório é comandado primariamente pelo centro respiratório no tronco cerebral. Outras teorias indicam que o movimento crânio-sacro é movimentado inicialmente pela pulsação do líquido cefalorraquidiano ou pela somatória das pulsações circulatória e respitatória criando um terceiro impulso que movimenta tal sistema).

Osteopatia craniossacral - Dr. Stelle

Durante o movimento crânio-sacro ocorre um bombeamento secundário da circulação intracraniana que é fundamental para o funcionamento do encéfalo. Com a diminuição desse movimento em decorrer de vários fatores, há prejuízo funcional dos sistemas nervoso, imune, endócrino, circulatório e outros, gerando vários sintomas, incluindo a depressão, hiperestresse, desequilíbrio hormonal, infertilidade etc.

2. CAUSAS DAS DIFUNÇÕES CRANIOSSACRAIS

Alguns dos fatores que podem gerar desequilíbrio do sistema craniossacral são: acidentes e traumatismos sobre a cabeça ou coluna (ex. batidas no crânio e chicote cervical), má oclusão, extração dentária, problemas posturais, torcicolo congênito, infecções, parto demorado, parto por fórceps, má acomodação intra-uterina do crânio. Em tais situações podem criar tensões miofasciais entre o crânio e a coluna vertebral que perduram e que dificilmente melhoram com o decorrer da idade, caso não haja intervenção do fisioterapeuta osteopata. Tais tensões originam as alterações posturais e oclusais, e facilita outros problemas, conforme as indicações a seguir.

3. EXAME E TRATAMENTO

Osteopatia craniossacral - Dr. Stelle

O objetivo do osteopata é buscar as disfunções somáticas, que são "regiões do corpo que estão com restrição de movimento e geram sensibilização neuronal e má circulação". Para encontrar tais regiãoes é realizado uma análise anatômica e fisiológica relacionada aos sintomas, completando com exame físico de palpação osteopática. Assim que encontrado os locais de disfunções o osteopata escolhe as melhoras técnicas para tratar o local. As técncias escolhidas variam conforme o grau de disfunção e o biotipo físico.

4. INDICAÇÕES principais para o tratamento craniossacral:

- ASSIMETRIA CRANIANA NA INFÂNCIA,
- ASSIMETRIA CRANIANA NO JOVEM juntamente com o tratamento ortodôntico
- PROBLEMA DE OCLUSÃO DENTAL e DISFUNÇÃO DAS ATMs;
- HISTÓRICO DE BATIDA NA CABEÇA OU CHICOTE CERVICAL;
- CEFALEIAS;
- INSÔNIA;
- IRRITABILIDADE;
- VERTIGENS / TONTURAS;
- SINUSITE DE REPETIÇÃO (CRÔNICA);
- SÍNDROME PRÉ-MENSTRUAL
- INFERTILIDADE FUNCIONAL
- ANSIEDADE / DEPRESSÃO;
- DEPRESSÃO DO SISTEMA IMUNE;
- DOR NO OUVIDO QUE NÃO MELHORA COM MEDICAÇÃO;
- ALGUNS CASOS DE ZUMBIDOS;
- DORES DE COLUNA que não se resolvem com o tratamento comum.

- DISTÚRBIOS DOS NERVOS CRANIANOS como:

  • nevralgia do trigêmio,

  • paralisia facial periférica (de Bell),   

  • distúrbio de deglutição,   

  • hipoconvergência ocular e estrabismo juntamente com o tratamento oftalmológico,   

  • má digestão e refluxo gastroesofágico.

5. EMBASAMENTO CIENTÍFICO

Existe uma vasta literatura e artigos científicos sobre os micromovimentos dos ossos do crânio, Tratamento osteopático e craniossacral. Tanto pesquisas como o relato dos pacientes das clínicas de osteopatia tem apresentado resultados favoráveis, muitas vezes com um número pequeno de sessões.

Geralmente 1 a 7 sessões para a maioria dos casos.

CLIQUE AQUI PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS

Obs: "Mais importante do que provas científicas, é a satisfação do cliente". 

LIVROS PREFERIDOS: 

TOSTEN, Lien. La osteopatía craneosacra. Barcelona: Paidotribo, 2002.
BUSQUET, Leopold. Las Cadenas Musculares – Tomo V – tratamento del cráneo. Badalona: Paidotribo, 2006
BUSQUET, Leópold. La Osteopatía Craneal. Barcelona: Paidotribo, 1998.
RICARD, François. Tratado de osteopatía craneal: Análisis ortodóntico. Diagnóstico y tratamiento manual de los síndromes craneomandibulares. Panamericana, 2005.
UPLEDGER, John E.; VREDEVOOGD, Jon D. Craniosacral Therapy. Seatle: Eastland, 1983

bottom of page